A Pentop do Brasil, empresa associada ao Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), desenvolveu uma tecnologia para a identificação de dinheiro para pessoas com deficiência visual, utilizando uma caneta (pentops) para falar o valor da cédula. A apresentação aconteceu em um grande hotel de Manaus.

Segundo o diretor de negócios da Pentop, Marivaldo Albuquerque, a tecnologia poderá ser utilizada por “casas da moeda” no Brasil e em outros países para a produção do “dinheiro falante”. “A ideia surgiu a partir da observação da dificuldade de identificação de cédulas de dinheiro por parte de pessoas com deficiência visual e pela ausência de dispositivos para este uso específico”, diz Marivaldo.

O diretor da Pentop, Marivaldo Albuquerque, apresenta o projeto “Dinheiro falante”

O processo de comercialização da tecnologia ainda está em andamento e a empresa procura o apoio de instituições locais e nacionais. “Há dificuldade de implantação da tecnologia na Casa da Moeda do Brasil, por envolver muitos atores e fatores que impedem a implantação imediata”, diz o diretor da Pentop com a esperança de que as dificuldades sejam eliminadas.

Para Marivaldo a apresentação foi excelente para apresentar os resultados do projeto e para receber o feedback dos avaliadores e saber o que a empresa pode melhorar em termo de relatórios e detalhes do projeto.

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);