Os proprietários da "Trembão", Danielen Cestari e Gustavo Godoy.

Os proprietários da “Trembão”, Danielen Cestari e Gustavo Godoy.

 

 

Alimentação adequada, balanceada, saudável e prática para quem tem pouco tempo para estar ao fogão, e deseja emagrecer, pagando um preço razoável por um produto sem conservantes, virou realidade em Manaus.

A empresa de alimentos “Trembão” decidiu atender uma demanda que vem crescendo na cidade, a busca por refeições prontas e semiprontas, de fácil preparo, em embalagens de fácil abertura e fechamento, e descarte.

De acordo com os sócios da empresa, Danielen Cestari e Gustavo Godoy, a ideia de vender comida congelada ligth surgiu de uma necessidade particular. “Eu sofria de uma gastrite e não podia comer qualquer coisa e, além do mais, não podia tomar medicamentos porque tenho intolerância aos remédios e a médica me aconselhou corrigir a minha alimentação”, conta Danielen.

Diante do problema de conseguir uma alimentação adequada, Danielen procurou o cozinheiro, formado em Gastronomia, Gustavo Godoy, que tinha trabalhado em cozinhas do setor hoteleiro. “Primeiramente, ele falou que não podia me atender porque andava muito ocupado com suas atividades. Então, eu comecei a preparar minha própria comida e levá-la para o trabalho. Eu não tinha mais tempo para nada”, lembra Cestari, dizendo também, que tentou comprar alimentos lights congelados de São Paulo, o que não funcionou devido aos custos altos.

Mas a saída de Gustavo Godoy da cozinha em que ele trabalhava ia colocar tempero na ideia de montar o próprio negócio de comidas congeladas. “O Gustavo começou a fazer a comida e a vendia em embalagens a vácuo para amigos e conhecidos que se sentiam bem com aqueles alimentos. Inclusive emagreciam. Então, batizamos o produto de ‘Kit emagrecedor’”, relata Danielen Cestari, acrescentando que a divulgação do produto foi feita de boca em boca. “Minha sogra viu, provou e começou a pedir. A mesma coisa aconteceu com a minha tia, as amigas dela, enfim, começou a surgir uma série de demandas e vimos a oportunidade de montar um negócio”, diz ela.

Sem experiência em gestão de empresas, os sócios pediram ajuda a amigos que, prontamente, atenderam. “Eu sou advogada e não tinha experiência em administração, mas estávamos decididos a empreender. Então realizamos pesquisas sobre o mercado de comidas congeladas em Manaus e fomos procurar um local para montar a cozinha”.

 

O “Trembão” passa pelo CIDE

Juntos, o mineiro e cozinheiro Gustavo Godoy, formado em Gastronomia e especialista em Segurança Alimentar e a advogada Danielen Cestari procuraram um local, no qual pudessem instalar a empresa. “Procuramos muitos lugares, mas não correspondiam às nossas exigências. Sempre havia um problema. Mas o meu noivo, que conhecia o CIDE, me falou do centro de incubação e viemos conversar com o diretor executivo da instituição e, com a ajuda de um amigo, começamos os trâmites exigidos pela incubadora”, conta.

De acordo com diretor executivo do CIDE, José Barbosa Grosso, o negócio dos alimentos congelados é amplo e deve agradar o perfil da demanda local. “O projeto da empresa “Trembão” é inovador porque eles vão trabalhar com alimentos regionais também, além dos tipos de comida que já conhecemos. Espero que eles tenham sucesso e contribuam com a boa alimentação de um público que procura comidas saudáveis”, finaliza o diretor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

}