Os produtos da Temperos da Amazônia não possuem conservantes.

Os produtos da Temperos da Amazônia não possuem conservantes.

A Temperos da Amazônia, empresa de manipulação e processamento de pimenta murupi, transformando-a em molhos e especiarias, de acordo com as normas da ANVISA é a primeira empresa a entrar no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), no ano de 2015. Ao longo do primeiro semestre outros empreendimentos vão estrear galpões na incubadora.

Segundo o proprietário, Marcos Roberto Agra, os produtos da empresa incubada possuem ingredientes naturais e a intenção é colocá-los à venda no mercado local e internacional. “Nós realizamos um processo chamado ‘Processo de branqueamento térmico’ da pimenta no seu estado natural (in natura), antes de iniciar a cadeia de processamento da mesma. Isso garante um tempo de vida do produto durante 12 meses depois de aberto, conservando todos os elementos da pimenta, sem a ajuda de conservantes e outros produtos considerados artificiais. Já fizemos testes de prateleiras e comprovamos que a durabilidade do produto superou os 12 meses”, afirma ele que conta com a ajuda de uma profissional de Engenharia de Alimentos.

De acordo com o empreendedor, os produtos são variados. “Temos o molho da pimenta murupi porque é um produto típico da Amazônia, em embalagens de 50ml, 150ml e 375ml. Temos o molho da pimenta murupi com o azeite da Castanha da Amazônia, e a pimenta murupi com o vinagre, ou seja, procuramos atender a demanda dos nossos clientes em diversos segmentos. E temos uma pimenta higienizada, embalada à vácuo em pacote de 100g”, conclui.

O empresário Marcos Agra (à esq.) decidiu empreender  com o próprio pai (à dir).

O empresário Marcos Agra (à esq.) decidiu empreender com o próprio pai (à dir).

 

}