Tecnologia a favor das crianças

 

Equipe que desenvolveu o projeto.

Com o objetivo de fazer o lançamento de uma plataforma de jogos interativos para ajudar a crianças a lidar com a raiva e a agressividade, a startup (empresa iniciante com grande potencial tecnológico) Dream Kid apresentou a profissionais da tecnologia, psicólogos, empresários e convidados o FELT, jogo criado para facilitar a educação emocional das crianças com conflitos emocionais internos, que podem ser solucionados de maneira criativa e intuitiva.

A apresentação aconteceu no Instituto de Desenvolvimento e Informática da Amazônia (SIDIA), bairro Parque 10 de novembro, Manaus, e tem o apoio de vários profissionais e instituições, como o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE). “Nós acreditamos que toda criança merece conhecer a si mesma, aprender sobre o que sente e como pode resolver conflitos internos. Para auxiliar nesta jornada, a criança é apresentada à tartaruga Tuco, um personagem com o qual descobrirá o que é a raiva, os efeitos, as causas e as soluções para lidar com esse sentimento.”, diz a empreendedora Bárbara Nicolau, acrescentando que o intuito dos participantes do projeto é ajudar a profissionais da área educacional e de psicologia infantil no esclarecimento de emoções. “Por meio das emoções vividas pela tartaruguinha, a criança imerge em um exercício, em uma atividade de educação emocional”, conta Bárbara.

A plataforma dispõe de diferentes planos e valores que variam de acordo com o público ou as necessidades da criança. Para mais informações acesse www.feltgame.com

Bárbara Nicolau apresenta os resultados do projeto da Dream Kid.
Bárbara Nicolau agradece o empenho da sua equipe no projeto.
Bárbara Nicolau e a consultora do CIDE, Elizabeth Araújo.
Bárbara Nicolau apresenta as embalagens do produto desenvolvido por ela e sua equipe.

 

Empresa do CIDE alcança metas e lança produtos

Os sócios da Biozer Amazônia, em evento no Rio de Janeiro para lançamento de produtos.

A Biozer Amazônia, empresa de cosméticos e produtos naturais, instalada no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), conseguiu as devidas certificações emitidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), para fazer o lançamento dos seus produtos, informa o sócio-proprietário, Danniel Pinheiro.

A linha de cosméticos recebeu o nome de “Simbioze Amazônica” e, segundo a empresa, os produtos serão elaborados somente com ingredientes naturais e certificados. “O diferencial dos nossos produtos está no fato de que eles possuem uma rastreabilidade e segurança que permitem que o consumidor confie em um produto certificado pela ANVISA e cuja procedência é garantida”, diz o sócio Danniel Pinheiro.

Os produtos da linha “Simbioze Amazônica” já foram lançados no evento “Green Rio”, que aconteceu em junho, na cidade do Rio de Janeiro. “Tivemos a oportunidade de lançar nossos produtos no Rio de Janeiro, mas estamos preparando toda uma estrutura para que eles sejam comercializados em estabelecimentos de beleza em Manaus, como drogarias, clínicas de tratamentos estéticos”, comenta Danniel, lembrando que os interessados em obter mais informações e adquirir os produtos podem ligar para o número 3213-3207.

Os passos para cosméticos, higiene e perfumes

Segundo a página eletrônica (site) do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), a legislação sanitária brasileira relacionada aos Produtos de Higiene, Cosméticos e Perfumes (HPPC) exige a autorização de funcionamento da empresa emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Somente esse órgão pode autorizar atividades como extrair, produzir, fabricar, transformar, sintetizar, embalar, reembalar, importar, exportar, armazenar, expedir, transportar e distribuir produtos enquadrados na categoria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. O Sebrae tem auxiliado empreendedores que queiram se regularizar e abrir uma empresa de HPPC. No site do próprio SEBRAE, os interessados em abrir empresas de produtos de higiene podem acessar à cartilha completa.

Estande da Biozer Amazônia, no Rio de Janeiro.
Os proprietários da Biozer Amazônia no estande da empresa, no Rio de Janeiro.

 

Empresariado do CIDE participa de evento oficial do PNCE

O diretor executivo do CIDE e os empreendedores no auditório da Suframa
O diretor executivo do CIDE e os empreendedores no auditório da Suframa

 

 

Empresários dos segmentos de Alimentos, Perfumaria e Tecnologia da Informação, instalados no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) participaram do lançamento oficial do Plano Nacional de Cultura Exportadora (PNCE), no último dia 15 de julho, no auditório da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), sob a presidência do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira.

 

Segundo o coordenador geral de programas de apoio às exportações da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), Eduardo Weaver, o Amazonas é o 12º Estado em que o PNCE é lançado formalmente. “Hoje é um momento importante porque a gente formaliza a instalação do plano aqui no Amazonas, mas já existe uma série de iniciativas ocorrendo antes desse lançamento”, disse Weaver.

Para a coordenadora local do PNCE, Sandra Almeida, os trabalhos vão ser intensificados. “A partir de agora, a lista de empresas participantes do PNCE vai aumentar porque vamos realizar ações com órgãos parceiros para incentivar às empresas locais a exportar”, disse.

 

Após o lançamento os empresários foram atendidos pelos representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Nesse atendimento nós identificamos o grau de maturidade das empresas. O contato com as empresas é importante. Temos a parceria também com o ‘Chama Empreendedora’ que aproveita o evento olímpico para divulgar os produtos brasileiros”, concluiu Weaver.

 

O PNCE é coordenado pela Suframa e integra outras instituições como a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Correios, Centro da Indústria, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Receita Federal, Cide. Essas instituições têm a atribuição de planejar, monitorar e executar o apoio às exportações.

O diretor do Cide, José Grosso (à esq.) e empresários da Panificação e Bebidas aromatizadas.
O diretor do Cide, José Grosso (à esq.) e empresários da Panificação e Bebidas aromatizadas.

 

 

Representantes do SEBRAE-AM.
Representantes do SEBRAE-AM.

 

 

Coordenador Geral do PNCE, Eduardo Weaver (à esq), e a coordenadora local do PNCE, Sandra Almeida.
Coordenador Geral do PNCE, Eduardo Weaver (à esq), e a coordenadora local do PNCE, Sandra Almeida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);

Reunião no CIDE para lançamento oficial do PNCE

Comitê Gestor do PNCE se reúne com instituições participantes no CIDE.
Comitê Gestor do PNCE se reúne com representantes de instituições participantes no CIDE.

 

 

O Comitê Gestor e de Divulgação do Plano Nacional de Cultura Exportadora (PNCE) se reuniu nesta segunda-feira, 11, no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), para comunicar o lançamento oficial do plano a toda sociedade amazonense, na próxima sexta-feira, 15, na Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), a partir das 9hs. O evento é gratuito e aberto ao público.

 

O lançamento coincide com a reunião do Conselho Administrativo da Suframa e contará com a presença do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. “Depois do lançamento, acontecerá no mesmo dia, palestras do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sobre financiamentos e do Ministério de Relações Exteriores sobre o papel dos setores comerciais dentro das embaixadas”, disse a coordenadora local do PNCE, Sandra Almeida.

 

As empresas participantes contarão com uma gama de ferramentas de treinamento, capacitação, consultoria para adequação de produtos e identificação de mercados. “Haverá atendimento aos empreendedores e empresários que queiram tirar dúvidas”, finaliza Almeida.

 

O objetivo do PNCE é aumentar o número de empresas que operam no comércio exterior e, consequentemente, aumentar as exportações do Estado. Contando com a participação de centros de incubação empresarial, federações de comércio, associações, cooperativas e órgãos ligados ao empreendedorismo regional, como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Reunião discute a participação de todos no lançamento oficial do PNCE.
Reunião discute a participação de todos no lançamento oficial do PNCE.

 

 

PN2

 

 

 

PN5

 

 

 

PN6

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);