Universitário da fronteira: em busca de novas ideias

Antes de visitar às empresas, universitários conversam o diretor executivo do CIDE.
Antes de visitar às empresas, universitários conversam o diretor executivo do CIDE.

 

Uma turma de universitários do curso de Administração da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) de Benjamin Constant, município a 1.120 Km de Manaus, sai por primeira vez da sua cidade para conhecer as empresas instaladas no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), conversar com os empreendedores e entender o processo de administração de uma incubadora.

Para chegar ao CIDE, em Manaus, o grupo de acadêmicos teve de realizar vários pequenos eventos, como rifas e sorteios, para conseguir o dinheiro e comprar as passagens de ida e de volta. “Eu ouvi falar do CIDE em um evento internacional e me interessei por conhecer mais sobre essa instituição, e surgiu a oportunidade de trazer os estudantes com a finalidade de que eles possam desenvolver ideias empreendedoras e colocá-las em prática no seu município. Na verdade, o interior é carente de tudo e aceitamos o desafio de tomar iniciativas empreendedoras e inovadoras onde há carência e pobreza. É possível”, diz o professor Antônio Conceição, que nasceu em Manaus, mas trabalha em Benjamin Constant.

Segundo o grupo, a viagem até a capital durou quatro dias de barco. “O curso tem disciplinas de Empreendedorismo, Cooperativismo, Associativismo e essa visita faz parte de um projeto que queremos implantar na universidade, e esses alunos vão ser uma espécie de sementes para outros estudantes daquela cidade, de modo que possamos incentivá-los a tomar iniciativas, a tomar decisões e criar oportunidades de negócios ”, conta Conceição, dizendo também que, ao voltar, a turma vai realizar um pequeno evento para contar suas experiências na incubadora.

Contato Direto

A estudante de Administração, Taíza da Silva, veio com a delegação e conversou com os empreendedores.

“Lá, em Benjamin Constant, nós não temos contato com esse ambiente de fábricas e empresas. Então, a nossa finalidade aqui é ter um contato direto com os empreendimentos, conhecer a história dos empresários e ter novas ideias que possamos desenvolver dentro e fora da universidade”, diz Taíza.

Antes de visitar as empresas, os universitários ouviram uma palestra com o diretor executivo da incubadora, José Grosso, e foram divididos em grupos para falar pessoalmente com os empresários. “Para os estudantes do interior do Amazonas as coisas são mais difíceis. Mas fico muito feliz que eles já superaram a etapa de sair do seu local acadêmico para conhecer novos ambientes. Espero que sejam grandes empreendedores e possam ajudar outras pessoas, e desenvolvam as atividades comerciais em Benjamin Constant”, conclui Grosso.

Acadêmicos conhecem fábrica de temperos regionais.
Acadêmicos conhecem fábrica de temperos regionais.

 

 

Universitários registram sua primeira visita a uma incubadora de empresas.
Universitários registram sua primeira visita a uma incubadora de empresas.

 

 

Empresária do segmento de Doces Regionais conversa com os visitantes.
Empresária do segmento de Doces Regionais conversa com os visitantes.

 

 

No auditório do CIDE, universitários veem vídeo institucional.
No auditório do CIDE, universitários veem vídeo institucional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Transformando-se em empresário

Empreendedores participam do penúltimo módulo.
Empreendedores participam do penúltimo módulo.

 

O empresariado do Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) voltou à sala de treinamento para participar do curso “Transformando-se em empresário empreendedor”. Depois de uma semana de treinamento, a capacitação foi concluída no dia 31 de agosto e foi ministrada novamente pelo economista Geraldo Magela. A formação tem a finalidade de corrigir os principais erros nas gestões consideradas “familiares”, nos aspectos financeiros e processo empresarial.

A formação está constituída de três etapas em meses diferentes. Essa é a penúltima. “Trata-se agora do segundo módulo. Nesse curso, estamos trabalhando casos de pessoas que tenham uma empresa e são chamadas de empresários, mas isso não dá a elas as características de empreendedor ou empreendedora. E muitas empresas não conseguem avançar porque falta ao proprietário as características de empreendedor”, diz Magela.

Durante o curso o economista deixou bem claro que muitos empresários têm uma grande ideia, bons produtos, mas agem como empregado dentro da própria empresa. “O objetivo é fazer uma reflexão sobre a postura empreendedora do empresário, o que vai levá-lo a um bom posicionamento no mercado, melhorando sua relação com os funcionários, descentralizando os trabalhos e melhorando sua criatividade”, destaca.

O próximo passo vai ser em setembro, quando acontecerá a formação do último módulo com todos os empresários.

 

O que é?

Empreendedor é quem identifica oportunidades e gera riquezas a partir delas. No mundo do trabalho, aquele tipo de pessoa que é capaz de criar uma empresa ou negócio a partir de uma simples ideia. Empresário, por sua vez, é todo indivíduo que tem competência para perpetuar essa mesma empresa ou negócio.

As experiências são compartilhadas.
As experiências são compartilhadas.

 

Empresários recebem certificado de conclusão.
Empresários recebem certificado de conclusão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CIDE tem a primeira turma de brigadistas

Participantes da administração do CIDE e de empresas instaladas fazem simulação de primeiros socorros.
Participantes da administração do CIDE e de empresas instaladas fazem simulação de primeiros socorros.

 

 

 

O Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) formou a primeira turma de brigadistas contra incêndio para aumentar a eficiência da segurança dentro da incubadora de empresas. O grupo está formado por funcionários da administração da própria instituição e das empresas instaladas.

 

Sob a instrução do sargento do Corpo de Bombeiros do Amazonas, Edvaney Cabral, os novos brigadistas tiveram formação teórica e prática. “ O curso faz parte de uma norma do Corpo de Bombeiros. Em caso de incêndio, os brigadistas estão capacitados a utilizar os equipamentos contra incêndios, como um extintor, por exemplo”, diz o instrutor de brigada de incêndio.

 

Ainda de acordo com ele, o curso vai além do manuseio dos equipamentos. “ Também tivemos o curso de Atendimento Pré-hospitalar, no qual o brigadista aprende as técnicas de primeiros socorros e estão aptos a fazer vistorias nos equipamentos contra incêndio, garantindo a prevenção e manutenção de ambientes dentro de uma empresa ou instituição”, destaca.

 

Para o diretor executivo do Cide, José Barbosa Grosso, a capacitação das 15 pessoas representa mais segurança à instituição e às próprias empresas. “Não queremos que aconteçam acidentes. Por isso, devemos precaver-nos. Em caso de que aconteça estaremos capacitados para prevenir e combater até que cheguem os órgãos competentes, como o Corpo de Bombeiros e ambulâncias”, conclui.

Durante o curso várias simulações de acidentes foram realizadas.
Durante o curso várias simulações de acidentes foram realizadas.

 

 

Participantes aplicam o que aprenderam na formação teórica.
Participantes aplicam o que aprenderam na formação teórica.

 

 

Todos os participantes do curso para brigadistas participaram com empenho.
Todos os participantes do curso para brigadistas participaram com empenho.

 

 

Participantes tiveram formação teórica e técnica.
Participantes tiveram formação teórica e técnica.

 

 

 

O sargento do Corpo de Bombeiros do Amazonas, Edvaney Cabral, dá instruções aos participantes
O sargento do Corpo de Bombeiros do Amazonas, Edvaney Cabral, dá instruções aos participantes

 

 

Bri8

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

}

CIDE e “CIDE 2” participam de curso oferecido pela Anprotec e pela Fapeam

Vários gestores de incubadoras de empresas e lideranças de municípios do Amazonas participam de curso da Anprotec
Vários gestores de incubadoras de empresas e lideranças de municípios do Amazonas participam de curso da Anprotec

 

 

 

Com o objetivo de estar sempre atualizado em um mundo em constante transformação em todos os segmentos, o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) e o CIDE Alvorada, conhecido como “CIDE 2”, participam do curso “Planejamento e Implantação de Incubadoras de Empresas”, oferecido pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas (Fapeam), na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE).

O curso termina na quinta-feira, 10, e visa discutir com os participantes uma metodologia para o planejamento e a implantação de uma incubadora de empresas de sucesso, sintonizando-a com o ecossistema de inovação da região. Participam também, gestores de outros municípios do Amazonas e do Estado do Acre.

“Além de Manaus, selecionamos seis municípios no interior do Estado, onde estabeleceremos estratégias juntamente com as lideranças locais, para implantar incubadoras de empresas, fortalecendo o município e gerando renda à população”, enfatiza a consultora da Anprotec, Evelin Astolpho.

Ainda segundo a consultora, os municípios selecionados para o programa de formação são Presidente Figueiredo, Tefé, Coari, Parintins, Manacapuru e Itacoatiara. “Estamos formando os agentes locais para que eles sejam os gestores das incubadoras de empresas e possam apoiar os novos empreendedores, desenvolver negócios, selecionar projetos e trabalhar para que as ideias inovadoras virem empresas no futuro”, conclui Evelin.

 

 

 

Consultor da Anprotec fala aos gestores.
Consultor da Anprotec fala aos gestores.

 

 

F2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

}

Funcionários retomam estudos no CIDE

Estudantes começam o curso, acompanhados por professor e pedagoga
Estudantes começam o curso, acompanhados por professor e pedagoga

 

Na noite da segunda-feira, 16, o Serviço Social da Indústria (SESI/AM) e o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) deram início ao curso de Ensino Fundamental e Médio aos colaboradores das empresas instaladas na incubadora. A iniciativa faz parte de uma parceria entre as duas instituições.

A sala de aula está instalada no próprio CIDE para facilitar a frequência dos estudantes depois da jornada de trabalho. “É um ato humano o que o SESI e o CIDE estão fazendo. Estamos oferecendo a oportunidade da conclusão dos estudos fundamentais a esses jovens para que eles possam melhorar sua formação e contribuir com o crescimento do nosso Estado”, diz o diretor executivo da incubadora, José Barbosa Grosso.

Aproximadamente 25 colaboradores fazem parte da primeira turma que começou a primeira noite de aulas com as matérias de matemática e física, depois de receber uniformes escolares e material didático gratuitamente da equipe do SESI/AM.

SESI12

SESI13

SESI14

SESI15

SESI16