• 92 3216-3892
  • secretaria@cide.org.br

Arquivo da tag comercialização

Empresa do CIDE alcança metas e lança produtos

Os sócios da Biozer Amazônia, em evento no Rio de Janeiro para lançamento de produtos.

A Biozer Amazônia, empresa de cosméticos e produtos naturais, instalada no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), conseguiu as devidas certificações emitidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), para fazer o lançamento dos seus produtos, informa o sócio-proprietário, Danniel Pinheiro.

A linha de cosméticos recebeu o nome de “Simbioze Amazônica” e, segundo a empresa, os produtos serão elaborados somente com ingredientes naturais e certificados. “O diferencial dos nossos produtos está no fato de que eles possuem uma rastreabilidade e segurança que permitem que o consumidor confie em um produto certificado pela ANVISA e cuja procedência é garantida”, diz o sócio Danniel Pinheiro.

Os produtos da linha “Simbioze Amazônica” já foram lançados no evento “Green Rio”, que aconteceu em junho, na cidade do Rio de Janeiro. “Tivemos a oportunidade de lançar nossos produtos no Rio de Janeiro, mas estamos preparando toda uma estrutura para que eles sejam comercializados em estabelecimentos de beleza em Manaus, como drogarias, clínicas de tratamentos estéticos”, comenta Danniel, lembrando que os interessados em obter mais informações e adquirir os produtos podem ligar para o número 3213-3207.

Os passos para cosméticos, higiene e perfumes

Segundo a página eletrônica (site) do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), a legislação sanitária brasileira relacionada aos Produtos de Higiene, Cosméticos e Perfumes (HPPC) exige a autorização de funcionamento da empresa emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Somente esse órgão pode autorizar atividades como extrair, produzir, fabricar, transformar, sintetizar, embalar, reembalar, importar, exportar, armazenar, expedir, transportar e distribuir produtos enquadrados na categoria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. O Sebrae tem auxiliado empreendedores que queiram se regularizar e abrir uma empresa de HPPC. No site do próprio SEBRAE, os interessados em abrir empresas de produtos de higiene podem acessar à cartilha completa.

Estande da Biozer Amazônia, no Rio de Janeiro.

Os proprietários da Biozer Amazônia no estande da empresa, no Rio de Janeiro.

 

Comercialização e divulgação na feira do SEBRAE

O estande da Amazon Doces está entre os mais procurados.

O estande da Amazon Doces está entre os mais procurados.

 

Com a finalidade de comercialização de  produtos e divulgação de suas marcas, empresas de diversos segmentos expõem na 5ª edição do “Empório Agronegócio”, uma iniciativa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE Amazonas). O evento vai de 2 a 4 de agosto, no pátio externo da instituição.

A convite do SEBRAE, três empresas dos segmentos de Alimentação, Temperos e Doces, instaladas no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), participam. “Os empreendedores participantes recebem apoio do SEBRAE nas áreas de acesso a mercados. Portanto, esse evento serve de vitrine para os empresários e de oportunidade para os consumidores que desejam conhecer a qualidade de novos produtos com um preço acessível”, diz o diretor executivo do CIDE, José Grosso.

De acordo com os técnicos do SEBRAE, 25 empresas participam do grupo de expositores e todas estão formalizadas e participam de projetos.

A Sabores de Tradição levou os melhores pastéis portugueses para o evento.

A Sabores de Tradição levou os melhores pastéis portugueses para o evento.

 

A Temperos da Amazônia expõe a qualidade dos seus produtos.

A Temperos da Amazônia expõe a qualidade dos seus produtos.

 

A feira está instalada no pátio externo do SEBRAE Amazonas.

A feira está instalada no pátio externo do SEBRAE Amazonas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imprensa local fala com as empresas do CIDE sobre “cultura exportadora”

O diretor executivo, José Grosso, dá entrevista para o SBT Em Tempo

O diretor executivo, José Grosso, dá entrevista para o SBT Em Tempo

 

No mês de fevereiro, vários meios de comunicação se interessaram por falar sobre o tema da “cultura exportadora” nos pequenos e médios negócios.

 

Nesse contexto, o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) foi procurado por televisões e jornais locais para falar sobre esse assunto e mostrar as empresas que iniciaram a comercialização de seus produtos para outros lugares do Brasil e aspiram a ampliar esse comércio para outros países.

 

Para realizar a matéria jornalística sobre o assunto da “cultura exportadora”, os repórteres solicitaram ao CIDE uma entrevista com o diretor executivo da instituição, José Barbosa Grosso. “As empresas incubadas desfrutam de um ambiente privilegiado em relação aos novos negócios. E a ‘internacionalização’ de uma empresa incubada exige muita preparação, capacitação, pesquisa de mercado, apoio e participação em eventos nacionais e internacionais porque há normas nos lugares para os quais a empresa pretende enviar seus produtos, principalmente, quando se trata de outros países”, diz o diretor.

 

O diretor executivo enfatiza que há casos concretos de empresas, instaladas na incubadora, que passam por um processo de experiência de comercialização para grandes centros consumidores, como São Paulo, Brasília e outras capitais. “Uma forma de atingir esses objetivos é buscando parcerias com instituições financeiras, de pesquisa, de serviços, de fomento empresarial, com universidades, com instituições públicas. Trabalhar de forma isolada é perigoso porque os mercados são dinâmicos, se transformam com velocidade e contam com a ajuda de outros fatores”, diz José Grosso.

 

Ainda segundo o diretor executivo, empresas que estão instaladas em centros empresariais e tecnológicos são consideradas pequenas, com recursos limitados, mas pujantes, pensam grande, com ideias inovadoras e capazes de satisfazer as demandas de dentro e de fora de Manaus.

 

No CIDE, empresas como Amazon Doces, Temperos da Amazônia, Sabores de Tradição e a empresa de licores Sohervas, já experimentam a comercialização de seus produtos em prateleiras de outras capitais. “Vendemos pelo site, pelas redes sociais, pela loja virtual e pelo telefone. A venda na feira da Eduardo Ribeiro, representa 80% do nosso comércio para fora do Estado do Amazonas”, conta o empresário Marcos Agra.

FotoG9

 

O proprietário da Sohervas da Amazônia, José Cabral, fala para a televisão

O proprietário da Sohervas da Amazônia, José Cabral, fala para a televisão

 

FotoG10