• 92 3216-3892
  • secretaria@cide.org.br

Arquivos por mêsabril 2017

Startups têm nova oportunidade em programa da Samsung no Brasil

Visitantes da Samsung conhecem empresa de doces no CIDE

Visitantes da Samsung conhecem empresa de doces no CIDE

 

O coordenador nacional do Programa de Economia Criativa de Fomento às Startups de Base Tecnológica para a Samsung, empresa multinacional que atua em diversos ramos da área de tecnologia da informação, Antonio Marcon, esteve conhecendo as instalações do Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), para estabelecer um vínculo mais próximo de colaboração e convidar os empreendedores do segmento de Tecnologia da Informação a participar do programa.

 

Segundo Marcon, o programa foi iniciado há dois anos no Brasil, em colaboração com a Coreia do Sul, e conta com a participação de 12 incubadoras. “Temos 20 startups participando no nosso programa no Brasil. Agora queremos estendê-lo para a Região Amazônica”, diz.

 

Ainda conforme Marcon, no segundo semestre deste ano, uma nova chamada por meio de edital vai acontecer, para aproximar os empreendedores existentes e os novos empreendedores, como estudantes com projetos em fase de amadurecimento. “Esperamos que o edital esteja preparado para junho. As startups contempladas vão receber uma bolsa de aproximadamente 250 mil reais para investimentos e processo de incubação inicial de nove meses”, diz, destacando que a Samsung vai oferecer mentoria, apoio tecnológico, canais de colaboração e de distribuição com o mercado, além da estrutura oferecidas pelas incubadoras participantes.

Os interessados em participar da nova chamada devem acessar o seguinte endereço eletrônico:

www.anprotec.org.br/Samsung

Equipe técnica do CIDE acompanha visitantes da Samsung

Equipe técnica do CIDE acompanha visitantes da Samsung

 

Visitantes conversam com empresário do CIDE

Visitantes conversam com empresário do CIDE

 

Visitantes na empresa de licores Sohervas da Amazônia

Visitantes na empresa de licores Sohervas da Amazônia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Incubadoras de empresas trocam experiências para melhorar serviços

Consultoras da Anprotec conversam com os representantes das incubadoras

Consultoras da Anprotec conversam com os representantes das incubadoras

 

Com o objetivo de trocar antigas e novas experiências, sobre melhorias de planejamentos, consultorias, acompanhamentos aos empreendedores instalados em incubadoras de empresas, o Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE) e mais seis incubadoras de empresas do Amazonas participaram, em março, na Universidade do Estado do Amazonas (UEA), do evento Workshop para Incubadoras.

 

O encontro serviu também para compartilhar experiências da implantação da metodologia do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (CERNE), chamado de “metodologia CERNE”, que auxilia as incubadoras no processo de gestão de incubação empresarial.

 

O encontro foi realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (FAPEAM) e a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos de Tecnologias Avançadas (ANPROTEC). “Na verdade, o método CERNE é implantado de acordo com a realidade de cada incubadora participante. Nenhuma incubadora é igual a outra. Por isso, a metodologia não permite cópias. Mas, podemos ajustar o exemplo de uma incubadora conforme a realidade da minha incubadora”, diz a consultora da ANPROTEC, Evelin Cristina Astolpho.

 

A consultora lembrou também que o compartilhamento de informações e experiências faz parte das atividades desenvolvidas pela ANPROTEC para melhorar a gestão das incubadoras de empresas. “A ‘métodologia CERNE’ diz o que tem que ser feito na gestão das incubadoras. Agora, como tem que ser feito ou realizado, cada incubadora vai colocar em prática de acordo com suas características, realidade e de acordo com as suas empresas instaladas”, diz Evelin Astolpho, acrescentando que todas as exposições feitas no evento são usadas para melhorar as práticas.

 

Nova visita técnica

Em março de 2016, o CIDE foi avaliado por consultores da ANPROTEC, que verificaram o grau de implantação da “metodologia Cerne”. Este ano, uma nova visita está programada. “A segunda visita técnica, sem data prevista, vai avaliar o que foi implantado em cada incubadora. Para cada centro de incubação fazemos um relatório e passamos à Fapeam. Nessa segunda visita técnica vamos ver o quanto avançou”, finaliza a consultora.

 

Para o diretor executivo do CIDE, José Barbosa Grosso, a metodologia auxilia na avaliação do potencial de cada empreendedor instalado. “Todo o processo de incubação é avaliado. Dessa forma, detectamos as metas, as dificuldades, os riscos, os objetivos e potenciais das empresas residentes aqui”, conclui.

Representantes de sete incubadoras de empresas participaram

Representantes de sete incubadoras de empresas participaram

 

Oc4

 

Oc3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Empresa começa processo de entrada no CIDE com medicamentos para diabéticos

Diante do diretor executivo e da equipe técnica do CIDE, o empreendedor Carlos Danniel expõe o Plano de Negócios.

Diante do diretor executivo e da equipe técnica do CIDE, o empreendedor Carlos Danniel expõe o Plano de Negócios.

 

Como acontece todos os anos, novas empresas, de diversos segmentos, solicitam o início do processo de entrada ou processo de incubação, no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), com a finalidade de desenvolver produtos inovadores e a sua comercialização.

 

No mês de março, a Biozer da Amazônia, empresa desenvolvedora de gel e cremes para tratamentos de ferimentos em pessoas com problemas de diabetes, em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), começou o seu processo de instalação, apresentando ao conselho administrativo da incubadora o Plano de Negócios.

 

Durante quase três horas de avaliação, o empreendedor Carlos Danniel Pinheiro, expôs os objetivos da empresa no CIDE. “Os produtos são inovadores, mas ainda não foram colocados à venda. Eles vão acelerar o processo de cicatrização de doenças em pés de pessoas com diabetes. Os cosméticos têm propriedades terapêuticas”, lembra o empresário.

 

Ainda conforme Pinheiro, o fato de estar no CIDE, permite uma série de vantagens. “Escolhemos este centro de incubação para dar continuidade aos trabalhos de desenvolvimento dos nossos produtos. Sabemos que aqui, podemos concluir e comercializar nossos produtos para tratamentos em diabéticos e lançar nossa linha de cosméticos com produtos naturais da Amazônia com certificação”, reconhece o mais novo residente da incubadora.

Equipe técnica do CIDE escuta a exposição de Carlos Danniel.

Equipe técnica do CIDE escuta a exposição de Carlos Danniel.

 

Ao final da exposição, Danniel pediu uma foto com a equipe do CIDE.

Ao final da exposição, Danniel pediu uma foto com a equipe do CIDE.

 

Ap3